Foswiki Blog de Vicente Aguiar thumbs up

Petição por uma Internet Democrática

FotoBlog.png Sobre mim... big grin

Histórico

Feed RSS

Validate the RSS feed

capoeira.gif

Seu Blog

Alguns links

Sobre EcoSol... Sobre EcoSoLivre Colivre PSL-Ba

É preciso logar para criar ou gerenciar seu blog.

Feliz blog novo!

(18 Jul 2009 - 20:01)

"Feliz blog novo"! Afinal, passei um bom tempo sumido da "blogosfera", tendo em vista que nesse ano de 2009 fiz uma promessa de só voltar a blogar quando o Noosfero - um dos projetos que atuo profissionalmente na Colivre, estivesse razoavelmente maduro para isto. Pois bem, após o lançamento desse sistema web em maio desse ano, no III Encontro Nordestino de Software Livre (ENSL), resolvi voltar a postar, só que dessa no meu novo blog:

http://softwarelivre.org/vicente

Assim, comunico "oficialmente" que deixei de usar o Foswiki (http://wiki.softwarelivre.org/Blogs/VicenteAguiar), meu "/home web" desde 2006. Nada contra o Foswiki, é claro, pois apesar de muitos não gostarem, eu considero uma ferramenta razoável. Eu estou apenas sendo coerente dentro da perspectiva de desenvolvimento de um projeto de software livre que atuo. wink

É claro que para fazer isso eu trouce comigo, todos os meus posts antigos para cá. Exatamente como fez meu caro meu amigo Antônio Terceiro, eu não copiei e colei todos eles. smile Eu usei uma funcionalidade muito interessante do Noosfero, que é a de popular um blog através de um feed RSS ou Atom. Para isso, usei a opção "configurar blog" no painel de controle, e marquei a opção "Obter posts de um feed externo".

noosfero-feed-externo.png

Para fazer isso no seu blog no Noosfero ("blogosfero" ?), coloque o endereço do feed no campo correpondente. Note que esse não é o endereço do blog, mas sim do seu feed RSS ou Atom! Quem estiver migrando pode deixar marcada a opção "Obter posts apenas uma vez", mas quem quiser que o Noosfero fique acompanhando o blog externo, é só marcar a opção "Obter posts periodicamente".

Para quem está migrando, uma dica importante: certifique-se de usar um feed que traz todos os seus posts, senão apenas os posts que estão atualmente no seu feed serão importados (normalmente os últimos 10 ou 20, a depender da plataforma de blog que você usa). wink

GNOME Project Organogram

(20 Dec 2008 - 18:59)

Após a apresentação que fiz no último Fórum GNOME com o título GNOME: um "bazar" organizado?, algumas pessoas me solicitaram uma versão que apresentei do que pode ser um organograma para o Projeto GNOME, elaborado a partir da pesquisa que fundamentou minha dissertação de Mestrado em Administração. Assim, segue abaixo tanto em fotmato PNG, como também uma versão em SVG:

OrganogramaGNOME2.4_Traduzido.png

  • A parte em azul representa as equipes do "meio de campo" que elaboram atividades de apoio ao desenvolvimento do Projeto GNOME. Destaco de amarelo a presença da GNOME Foundation que acaba sendo uma equipe que da apoio formal e institucional à comunidade.

  • A parte em verde representa o pessoal da "comissão de frente", ou seja, aquelas equipes que cuidam diretamente do desenvolvimento do desktop e da plataforma GNOME.

Ressalto que todo este material pode ser compartilhado segundo os termos da GNU Free Documentation License wink

Economia Solidária, software livre e apropriação tecnológica.

(27 Nov 2008 - 03:54)

thumb_consegi-debate-ALTA-RES.gif No dia 28 de agosto deste ano de 2008, eu participei de um Painel fantástico no CONSEGI promovido pelo SERPRO em Brasília, onde pude contribuir com um debate sobre Economia Solidária, software livre e apropriação tecnológica. Este debate contou com as ilustres presenças do Paul Singer, Edgar Piccino e do Miguel Stefen.

Como o pessoal do Estúdio Livre colocou no acervo livre parte do debate que aconteceu por lá, aproveito para compartilhá-lo AQUI com quem tem interesse no tema e não pôde estar por lá. wink

Alô comunidade GNOME: aquele abraço!

(06 Nov 2008 - 04:08)

Este post é apenas para agradecer à essa comunidade fantástica que dá vida ao Projeto GNOME! Valeu pessoal, o V Fórum foi fantástico! A muito tempo que não me divirto tanto com pessoas tão Legais! big grin

Abraço.jpg

Tirando o lance do "Whisky Club" (porque o povo lá tomava "pisco"!), esta é uma das fotos que representa bem o espírito de todas/os por lá:

ComunidadeGNOME.jpg

Em especial, não podemos deixar de agradecer a presença dos nosso hermanos latinos que participaram da primeira Turnê GNOME Latino Americana! Muchas Gracias, muchachos!

HermanosGNOME.jpg

Em termos do conteúdo das apresentações que aconteceram por lá, basta dar uma olhada aqui nos slides.

Salve Nerdson!

(24 Oct 2008 - 01:43)

Se existisse um prêmio Nobel para área de Computação, acho que Nerdson ganharia com esta "teoria"...

  • Ciclo de vida de uma distro GNU/Linux nerdson123.png


Pena que nem todo hacker lê Nerdson para aprender isto também... frown

EnANPAD 2008 e Software Livre

(11 Sep 2008 - 00:40)

Hoje eu apresentei um artigo sobre o Projeto GNOME que tinha por base minha dissertação de mestrado, no XXXII Encontro da ANPAD (Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração), mais especificamente na área de Impactos Socioculturais dos Sistemas de Informação :

  • "Software Livre e o Modelo Colaborativo de Produção entre Pares: uma Análise Organizacional sobre o Projeto GNOME"
  • Resumo: Este artigo discute as especificidades do modelo colaborativo de produção entre pares presente nas comunidades on-line de softwares livres - em particular, na comunidade relativa ao Projeto GNU Network Object Model Environment, mais conhecido pela sigla GNOME. Com base em uma pesquisa netnográfica de dois anos, o artigo analisa a organização do trabalho que dá vida ao processo de desenvolvimento colaborativo entre pares desse projeto de software livre, empreendido por mais de 300 hackers e colaboradores de todos os cinco continentes do globo por meio de uma comunidade on-line. Para tanto, leva-se em consideração algumas dimensões de uma realidade organizacional complexa como, por exemplo, a estrutura social, o fluxo de atividades, além dos impactos do ambiente tecnológico que compõem o processo de produção de um sistema computacional livre num projeto de magnitude internacional. A partir da análise desenvolvida neste artigo, conclui-se que este fenômeno organizacional, que emerge juntamente com as novas tecnologias da informação, parece desafiar boa parte dos conceitos e práticas que haviam sido ditados pela ciência da administração e pelo paradigma dominante da produção de softwares.

Foi bem interessante poder compartilhar parte dos resultados de minha dissertação neste evento acadêmico nacional, pois o entendimento sobre a questão dos softwares livres ainda está meio que "engatinhando" no meio acadêmico aqui no Brasil.

Contudo, foi possível ainda encontrar alguns outros trabalhos que, de alguma forma, tratavam sobre questões e problemáticas ligadas ao ecossistema dos softawres livres. Independente de qualquer tipo de avaliação sobre o conteúdo expostos nestes artigos, o lado positivo deles é que algumas pesquisas estão surgindo sobre esta importante temática no campo da Administração. Confira abaixo:

  • "Aprendizagem Individual em Comunidades Virtuais de Prática (COVPs): O Caso da Comunidade DEBIAN-BR-CDD no Brasil"
  • Resumo: "Este artigo tem como objetivo geral analisar como os indivíduos aprendem em comunidades virtuais de prática (COVPs), identificando fatores que condicionam o processo de aprendizagem nas mesmas e as estratégias comportamentais de aquisição de conhecimentos acionadas por seus membros. Para tanto, foi realizada pesquisa na Comunidade Virtual de Prática DEBIAN-BR-CDD, que se reúne em torno do objetivo de desenvolver e difundir o uso de software livre, em particular, do sistema operacional LINUX. Os resultados indicaram ter ocorrido alto grau de aprendizagem e compartilhamento de conhecimento neste ambiente, através do acionamento de estratégias comportamentais de aquisição de conhecimentos internos à comunidade prioritariamente. Verificou-se, ainda, que os processos de aprendizagem dos membros da DEBIAN-BR-CDD foram condicionados por fatores individuais e características socioculturais de seus membros, especificamente confiança e identificação com o grupo".

  • "Apropriabilidade, Mecanismos de Apropriabilidade e Inovação no Setor de Software Livre"
  • Resumo: "No final do século XX, uma nova forma de desenvolver, comercializar e distribuir softwaredespontou como uma revolução numa indústria tão importante para o estabelecimento de um novo paradigma econômico baseado na informação e no conhecimento. O movimento pelo software livre criado por Richard Stallman, na década de 80, e difundido desde então, apareceu como uma alternativa ao modelo de negócios de desenvolvimento, comercialização e distribuição de software chamado de “proprietário” que dominou a indústria de software nos últimos 30 anos. Do confronto entre os dois modelos esta pesquisa se concentra nas questões ligadas a apropriabilidade no processo de inovação e a propriedade intelectual no contexto do software livre. E como destaque entre seus achados na busca da relação entre mecanismos de apropriabilidade e o processo de inovação e seus construtos, existe uma indicação positiva, que a capacidade inovadora e a formação dos seus construtos parecem estar intactas. Isto é, as empresas continuam a buscar o processo de inovação, pelos caminhos apresentados no corte neo-schumpeteriano da teoria evolucionista, apesar das mudanças que ocorreram na construção dos mecanismos de apropriabilidade utilizados pelas empresas pesquisadas."

  • "Wikis e as Organizações: Usos e Aplicações"
  • Resumo: Neste ensaio será explorada a tecnologia dos wikis, aplicação Web que permite a qualquer pessoa escrever colaborativamente e editar documentos em tempo real. Pode acrescentar conteúdo sem a necessidade de conhecimentos técnicos informáticos sofisticados, o que tem trazido profundas implicações em vários cenários, nomeadamente nas áreas das corporações e no campo da educação. Ao abordar suas funcionalidades, características, vantagens e desvantagens, este ensaio enumera as principais áreas de utilização das ferramentas wikis, além de expor sobre os cuidados a serem observados quando de sua implantação. Por fim, articulam-se, ainda, os sistemas Wikis com a literatura sobre escrita colaborativa, buscando suas intersecções e apontando lacunas a serem supridas com a realização de pesquisas empíricas na área. Trata-se, portanto, de pesquisa bibliográfica ao estado da arte dessa ferramenta nas organizações.

  • "A Propriedade Intelectual como Elemento da Gestão do Conhecimento: o que Compartilhar?"
  • Resumo: A interação entre os indivíduos para a explicitação de conhecimentos tem sido instigada como uma das formas de compartilhamento de conhecimento para contribuir para o sucesso empresarial. Neste contexto, surge a questão: está claro para os empregados e gerentes o que deve ser compartilhado e o que deve ser protegido para garantir os negócios e evitar litígios? O artigo aborda o processo de adaptação do conjunto de orientações formais (política e norma) às leis (Lei nº 9.610/98 - Direito Autoral, Lei nº 9.609/98 - Programa de Computador e Lei nº 9.279/96 - Propriedade Industrial), como forma de regulamentação da proteção ao conhecimento. Trata-se de estudo, exploratório e descritivo, em uma empresa pública de Tecnologia de Informação e Comunicações (TIC), que considerou, principalmente, as abordagens sugeridas por Krog et al (2001) e King (2002). Os aspectos relevantes estabelecidos foram: princípios da Política de Propriedade Intelectual; estrutura de classificação da Norma; principais modelos de documentos da Norma; tópicos polêmicos. A conclusão aponta para a necessidade de entendimento apropriado em busca do equilíbrio entre a proteção ao conhecimento e o compartilhamento do conhecimento, de modo útil, considerando indivíduos e organizações.

História da Internet no Brasil e o Futuro da Rede

(02 May 2008 - 15:01)

img-video01.png Fantástica a iniciativa do Sérgio Amadeu , da Faculdade Casper Líbero, de divulgar na rede um encontro com um dos pioneiros da Internet no Brasil, Demi Getschko. A conversa passou por uma série de temas: a construção da rede no Brasil, as tentativas da indústria de intermediação de impor a lógica hierárquica, os caminhos da privacidade e da segurança, o poder dos fluxos de informação diante dos governos autoritários, as tendências atuais e o futuro da Internet, entre outros.

Além do Demi Getschko, participaram da entrevista o Coordenador de Cultura Geral da Cásper Líbero, Prof. Claudio Arantes, o filósofo e professor da Universidade Complutense de Madri, Javier Bustamante, o pesquisador do CIP, Murilo Machado e o próprio Sérgio Amadeu. Segue então abaixo, os links dos vídeos da entrevista que estão no youtube:

http://br.youtube.com/watch?v=nLjJfhHQ8XI

http://br.youtube.com/watch?v=A4h6O9AkgUQ

http://br.youtube.com/watch?v=1pfrxzyeSCs

http://br.youtube.com/watch?v=AbgEs2VWHl4

http://br.youtube.com/watch?v=RWDVOGStFIo

http://br.youtube.com/watch?v=NWayxnitOlc

http://br.youtube.com/watch?v=Msb1DdvPIH0

http://br.youtube.com/watch?v=Xr9fKaML9k8

II Encontro de Software Livre de Pernambuco

(22 Apr 2008 - 19:22)

II Encontro de Software Livre de Pernambuco

Recife receberá o Segundo encontro de Software Livre de Pernambuco nos dias 23, 24 e 25 de abril de 2008, na Faculdade Maurício de Nassau e será gratuito. A organização estima que cerca de 800 pessoas participem do Encontro e ajudem a difundir o Software Livre (SL) nos âmbitos acadêmicos, empresariais, governamentais e sociais.

Dentro deste evento, tive a honra de ter sido convidado pela organização para participar de um painel sobre Software Livre e Economia Solidária , que acontecerá no auditório às 15h de quinta (24/04/08). A minha porposta por lá será de apresentar o projeto do Fórum Brasileiro de Economia Solidária (FBES) que visa o desenvolvimento da comunidade virtual das redes de Economia Solidária (também conhecido como "Sistema FBES") - que a Colivre está desenvolvendo. Como mencionei aqui num post passado, Este ambiente virtual terá como objetivo potencializar e contribuir para o fortalecimento de cadeias produtivas, redes de pro-consumidoras/es e ambientes de comunicação entre os empreendimentos de economia solidária, organizações de assessoria, gestores públicos e cidadãos comuns de todas as regiões do Brasil.

Infelizmente, como estou cheio de compromissos e atividades pela Colivre, chegarei em Recife na quinta às 8h e retornarei para Salvador no mesmo dia às 23h. Por isto, não terei condições por exemplo de assistir duas palestras que gostaria:

  • a deJorge Pereira (dia 23/04 - quarta - na sala 02, às 17h) que falará sobre o tema "Contribuindo com o GNOME". Esta apresentação abordará os passos para aqueles que desejam colaborar com o projeto GNOME, seja desenvolvendo, com traduções entre outras formas.

  • e a apresentação de Sérgio Amadeu (dia 25/04 - sexta - no auditório, às 15h) sobre "Convergência Digital, Desintermediação e práticas".

Mais informações sobre a programação geral do evento, veja aqui.

Boas novas da Economia Solidária

(02 Apr 2008 - 20:39)

Nesta última semana, de 26 a 30 de março, aconteceu em Luziânia (GO) a IV Plenária Nacional do Fórum Brasileiro de Economia Solidária (FBES), organizada por todo um movimento nacional que visa a construção de outra economia e outro projeto de desenvolvimento para o país.

logo_mapa_da_caravana.jpg

O evento foi fantástico e o pessoal que contribui na organização está de parabéns! É indescritível a riqueza dos debates e das deliberações que ocorreram nessa Plenária que envolveu representantes de todo Brasil em torno de cinco eixos:

  • Produção, Comercialização e Consumo Solidários;
  • Formação;
  • Finanças solidárias;
  • Marco Legal.

Neste evento, participei como observador das deliberações, mas estive representando a Colivre para ajudar na apresentação do sistema livre Noosfero que nossa Cooperativa está desenvolvendo a partir de uma demanda do Fórum Brasileiro de Economia Solidária (FBES) - e que agora conta também com a parceria de uma ONG suíça chamada Fondation Ynternet.org.

00.selecionar-recorte.png

Para quem ainda não conhece esse Projeto, o Noosfero está sendo desenvolvido pela Colivre, primeiramente, para servir de base tecnológica para o Anheteguá ("Liberdade" em Guarani) - a comunidade virtual das redes de Economia Solidária (também conhecido como "Sistema FBES"). Este ambiente virtual tem o objetivo de potencializar e contribuir para o fortalecimento de cadeias produtivas, redes de pro-consumidoras/es e ambientes de comunicação entre os empreendimentos de economia solidária, organizações de assessoria, gestores públicos e cidadãos comuns de todas as regiões do Brasil.

Como funcionará essa comunidade virtual do movimento da Economia Solidária? Quais são seus objetivos?

1. Uma rede de relacionamentos virtual: cada usuário/a terá uma página própria!

Nesta página, a pessoa pode colocar suas idéias, fotos, mostrar de quais empreendimentos solidários participa, de quais empreendimentos costuma comprar produtos, entre outras coisas.

Cada usuária ou usuário vai poder participar de comunidades virtuais. Estas comunidades podem ser de pessoas de um mesmo bairro, território ou região, ou então comunidades temáticas (por exemplo, comunidade para debater logística solidária, ou a comunidade da formação em ES), ou então comunidades de redes e cadeias (por exemplo, a comunidade do artesanato, ou a comunidade da cadeia do mel, ou a comunidade de trocas de experiência em lojas solidárias, etc....).

As possibilidades serão infinitas de se relacionar, encontrar pessoas do movimento, trocar idéias e articular politicamente!!

2. Um sistema vivo de divulgação e comercialização de produtos e serviços da Economia Solidária: cada empreendimento cadastrado terá uma página para o seu empreendimento, em que pode divulgar os seus produtos/serviços, fotos, preços e formas de comprar.

Além disso, haverá a possibilidade do empreendimento permitir a compra on-line dos produtos, via boleto ou cartão de crédito! O sistema terá um poderoso "farejador da Economia Solidária", onde qualquer um(a) poderá fazer buscas de produtos e serviços da Economia Solidária no sistema.

3. Um instrumento de apoio ao movimento organizado de Economia Solidária: à medida que o movimento vai avançando no país, vão sendo criados e consolidados novas articulações do movimento, sejam articulações territoriais, econômicas ou temáticas.

"Articulações territoriais" são os fóruns e redes estaduais, regionais e locais que fazem parte do FBES: cada um terá a possibilidade de ter uma página própria (que chamamos de RECORTE) para indicar as suas atividades, agenda de eventos, documentos importantes, anúncios de novidades, além de empreendimentos e entidades que estão neste território.

"Articulações econômicas" são redes setoriais ou cadeias que estejam consolidadas no movimento. Cada uma destas cadeias terá a possibilidade de um “RECORTE” com as funcionalidades indicadas acima. Por exemplo, se uma rede de lojas solidárias se consolidar no movimento através da coordenação nacional do FBES, será um novo RECORTE do sistema, e assim por diante.

"Articulações temáticas" são, por exemplo, os GTs do Fórum Brasileiro de Economia Solidária, se existirem. Por exemplo, um RECORTE do GT de Formação, e assim por diante.

Por isto, se você gostou dessa proposta, participe, divulgue e navegue por esta outra economia que a cada dia se fortalece mais! smile

Mensagem Colivriana de fim de ano!

(22 Dec 2007 - 15:07)

CartaoNatal.png

Um novo Espaço em Salvador!

(02 Dec 2007 - 23:50)

Quem estiver aqui em Salvador na Bahia, não pode deixar de conhecer!

convite_digital.jpg

Além de toda a questão da bioarquitetura, o pessoal utiliza 100% software livre em todo este Espaço!! smile

Quais os limites da propriedade intelectual numa Universidade Pública?

(15 Nov 2007 - 21:29)

No momento em que a UFBA - uma universidade Pública - está criando um núcleo especializado em PI - Propriedade Intelectual, mas com um nome momentâneo de "Núcleo de Inovação Tecnológica", sem nenhum tipo de debate com a comunidade acadêmica, a reflexão proposta abaixo surge como algo mais do que necessário....

"Quais os limites da propriedade intelectual?"

Em entrevista à Carta Maior, a pequisadora Carol Proner, autora de uma tese de doutorado sobre Propriedade Intelectual e Direitos Humanos, fala sobre o dever constitucional da função social da propriedade e o respeito aos direitos coletivos, hoje ameaçados pela pressão dos países ricos e seus conglomerados econômicos. Veja AQUI a entrevista

A partir dessa entrevista, fica também a questão sobre que tipo de Propriedade Intelectual (PI) deve ser produzida numa universidade pública como a UFBA:

publish.gif 1 - A PI sugerida, por exemplo, pelo Projeto Creative Commons, isto é, uma proposta internacional para licenciamento livre de qualquer propriedade intelectual, onde busca-se promover um equilíbrio entre os direitos conferidos pelas leis de direitos autorais e seus titulares e os direitos dos membros da sociedade de terem acesso ao conhecimento e à cultura. Vejam o exemplo do filme AQUI.


NIT.jpg 2 - Ou a PI estimulada atualmente pelo NIT/UFBA que mostra como uma "patente permite que terceiros sejam excluídos de atos relativos a matéria protegida". Vejam AQUI a cartilha abaixo divulgada pelo Núcleo



Qual então é a sua opinião como contribuinte (que sustenta as universidades públicas), pesquisador/a, estudante, professor/a ou cidadão?

 

Lançada a Versão 0.3.1 do Abelo!

(04 Oct 2007 - 22:23)

A Colivre - Cooperativa de Tecnologias Livres acaba de lançar a versão 0.3.1 do Abelo: o mais novo sistema web para gestão comercial 100% Software livre! smile

logoAbelo.jpg

http://www.abelo.com.br

Com o Abelo, qualquer organização (empresa, instituição de ensino, cooperativa ou ONG), pode controlar seu estoque ou almoxarifado; cadastrar clientes, trabalhadoras/es, produtos e fornecedoras/es; além de poder realizar a gestão financeira com segurança e eficiência. Tudo isto com um sistema intuitivo, acessível e, simplesmente, belo.

O Abelo é uma tecnologia livre desenvolvida com "trabalho livre", ou seja, por meio de um empreendimento de economia solidária! Por isto, use, divulgue e colabore com este projeto! smile

IV Forum GNOME no Nordeste

(26 Sep 2007 - 03:32)

bannerFixo_468x60.png

Quem estiver aqui no Nordeste, não pode deixar de participar! smile

O IV Fórum GNOME é o evento anual da comunidade brasileira de usuários, tradutores e desenvolvedores do GNOME. Na sua quarta edição, o Fórum será um evento comunitário do II ENSL - Encontro Nordestino de Software Livre, o maior evento de software livre do Nordeste, em Aracaju/SE, de 28 a 30 de setembro de 2007.

Para participar, basta se inscrever no II ENSL, já que o Fórum ocorrerá simultaneamente às demais palestras. No último encontro em que foi realizado, o FISL, o GNOME atraiu 5 mil especialistas e curiosos.

Além dos membros brasileiros, os debates em Aracaju contarão com a participarão de importantes lideranças internacionais do GNOME, como é o caso de Nathan Wilson e Henri Bergius. Confira então abaixo a grade de programação.


Grade de Programação

Dia 28/09 - Sexta-Feira
09h-10h Ensinando GNOME Aparecido Quesada
09h-12h Editando Fotografias Digitais com o GIMP João S. de O. Bueno Calligaris
10h-11h Encontro de Usuários, Desenvolvedores e Contribuidores GNOME. Comunidade
11h-12h Um trabalho a troco de nada?" A resposta da comunidade GNOME para Jô Soares e Bill Gates à luz da teoria da Dádiva VicenteAguiar
14h-15h TWiki do GNOME Brasil Comunidade
16h-17h The Nokia N800, a device powered by Linux Kenneth Rohde Christiansen
17h-18h Campanha de mapeamento sobre as organizações que usam GNOME no Brasil Comunidade
Dia 29/09 - Sábado
09h-10h Gnome 2.20 - O novo Gnome turbinando o seu desktop Tiago Cardoso Menezes
10h-11h Como contribuir com o GNOME Jonh Wendell
16h-17h SUSE Linux do Data Center ao Desktop Carlos Ribeiro
10h-11h Migração de aplicações .NET para plataformas livres com Mono Everaldo Canuto
Dia 30/09 - Domingo
11h-12h GNOME, um "bazar" organizado? VicenteAguiar
14h-15h Developing and Instant Messenger using python Kenneth Rohde Christiansen

Especificação de Hardware para montar redes LTSP

(10 Aug 2007 - 14:53)


redeslinux.png
Para quem interessar, segue AQUI no link da Web Tech da Colivre uma bela especificação (bem detalhada) de computadores (hardware) para se instalar uma rede LTSP...

Como esta especificação foi montada pelo nosso glorioso Amdeu Jr para ajudar alguns Projetos de Ponto de Cultura a fazerem seus editais público para compras de equipamentos, acho que pode servir para muitos outros. wink

Sintam-se então mais do que livres para divulgar, pois todo conteúdo está sob licença GPL ! smile

A resposta da Natureza (em Salvador)...

(08 Aug 2007 - 14:21)


PortoDaBarra.jpg


Para quem pensa que as mudanças climáticas são "coisas de televisão" ou "coisas de EcoChatos", acho que algumas imagens desse fenômeno que ocorreu (de forma inédita) aqui em salvador na Bahia valem mais do que muitas pesquisas que alertam sobre estas questões... frown

Podemos fazer algo?

Para mais informações sobre as questões climáticas e sobre como fazer algo para mudar esta situação, acessem, por exemplo, o site do Greenpeace!

Os Argonautas da Internet

(30 Jul 2007 - 03:03)

Enfim...

Depois de mais de seis meses sem postar nada por aqui, eis que venho divulgar, ou melhor, publicar o motivo da minha ausência aparente. Como resultado de dois anos de pesquisas, estudos e a colaboração de muitas pessoas, consegui concluir minha dissertação de mestrado que tem o seguinte título - Os Argonautas da internet: uma análise netnográfica sobre a comunidade on-line de software livre do Projeto GNOME a luz da teoria da Dádiva.

Este estudo procurou responder uma questão bem recorrente sobre as comunidades de software livre: como se manifesta a dinâmica de trabalho dos hackers, no processo de produção não-contratual e colaborativo, presente nas comunidades virtuais de projetos de softwares livres, em particular, na Projeto GNOME? - que, em outra palavras, significa entender porque mais de 300 hackers de todas as partes do mundo contribuem livremente para o desenvolvimento e distribuição do GNOME e de que forma eles se organizam por meio da Internet .

Assim, por causa desta forma ousada e subversiva de produção colaborativa na net, utilizei o termo "Argonauta" para simbolizar a ousadia desses navegadores do ciberespaço e, ao mesmo tempo, ressaltar o olhar antropológico (etnográfico) que utilizei para entender este fenômeno comunitário da modernidade.

Gostaria então de aproveitar e agradecer a Sérgio Amadeu e Ruth Laniado por terem participado, na condição de "atacantes", da minha banca de defesa e, assim, terem contribuído muito para conclusão deste trabalho. Além deles, não posso também deixar de frisar, entre muitas pessoas que contribuíram com este processo, o grande Lucas Rocha por toda atenção, companheirismo e colaboração que tornaram possível e viável a realização desta dissertação. Valeu, Lucão! smile

Para quem se interessou pela dissertação, segue então abaixo o resumo e o texto final para críticas, discordâncias ou comentários. Afinal, nenhum trabalho científico é realizado na utopia do "individual". wink

Resumo

"Esta dissertação discute as especificidades da dinâmica de trabalho dos hackers, no processo de produção não-contratual e colaborativo presente nas comunidades on-line de softwares livres - em particular, na comunidade relativa ao Projeto GNU Network Object Model Environment, mais conhecido pela sigla GNOME. A partir de uma exploração netnográfica, analisou-se, de início, a organização do trabalho que dá vida ao processo de produção colaborativo entre pares, empreendido por mais de 300 hackers e colaboradores de todos os cinco continentes do globo, no universo dessa comunidade on-line. Para tanto, levou-se em consideração algumas dimensões de uma realidade organizacional complexa como, por exemplo, a estrutura social e o fluxo de atividades. Além dessa análise, esta pesquisa buscou compreender a natureza do trabalho adotado pelos hackers no processo de produção e distribuição de softwares nessa organização, a luz da teoria antropológica da Dádiva. Como resultado, constatou-se então que se faz presente no Projeto GNOME um tipo de engajamento não-contratual, associado a uma forma de trabalho e circulação de bens que difere completamente de organizações ligadas à esfera do mercado ou do Estado. Em outras palavras, foi possível verificar uma nova expressão da dádiva moderna: um sistema de dádiva mediada por computador, tanto na essência como no modo de funcionamento e organização do trabalho. "

2007 e uma escolha: Águia ou Galinha?

(24 Dec 2006 - 16:45)

Temos a liberdade de escolher...

Solaguia.jpg

“Era uma vez um camponês que foi à floresta vizinha apanhar um pássaro para mantê-lo cativo em sua casa. Conseguiu pegar um filhote de águia. Colocou-o no galinheiro junto com as galinhas. Comia milho e ração própria para galinhas. Embora a águia fosse o rei/rainha de todos os pássaros.

Depois de cinco anos, esse homem recebeu em sua casa a visita de um naturalista. Enquanto passeavam pelo jardim, disse o naturalista:

- Esse pássaro aí não é uma galinha. É uma águia.

- De fato – disse o camponês. É águia. Mas eu a criei como galinha. Ela não é mais uma águia. Transformou-se em galinha como as outras, apesar das asas de quase três metros de extensão.

- Não – retrucou o naturalista. Ela é e será sempre uma águia. Pois tem um coração de águia. Este coração a fará um dia voar às alturas.

- Não, não – insistiu o camponês. Ela virou galinha e jamais voará como águia.

Então decidiram fazer uma prova. O naturalista tomou a águia, ergueu-a bem alto e desafiando-a disse:

– Já que de fato você é uma águia, já que você pertence ao céu e não à terra, então abra suas asas e voe!

A águia pousou sobre o braço estendido do naturalista. Olhava distraidamente ao redor. Viu as galinhas lá embaixo, ciscando grãos. E pulou para junto delas.

O camponês comentou:
– Eu lhe disse, ela virou uma simples galinha!

– Não!! – tornou a insistir o naturalista. Ela é uma águia. E uma águia será sempre uma águia. Vamos experimentar novamente amanhã. No dia seguinte, o naturalista subiu com a águia no teto da casa. Sussurou-lhe:

Águia, já que você é uma águia, abra suas asas e voe!

Mas quando a águia viu lá embaixo as galinhas, ciscando o chão, pulou e foi para junto delas. O camponês sorriu e voltou à carga:
– Eu lhe havia dito, ela virou galinha!

– Não – respondeu firmemente o naturalista. Ela é águia, possuirá sempre um coração de águia. Vamos experimentar ainda uma última vez. Amanhã a farei voar.

No dia seguinte, o naturalista e o camponês levantaram bem cedo. Pegaram a águia, levaram-na para fora da cidade, longe das casas dos homens, no alto de uma montanha. O sol nascente dourava os picos das montanhas. O naturalista ergueu a águia para o alto e ordenou-lhe:

– Águia, já que você é uma águia, já que você pertence ao céu e não à terra, abra as suas asas e voe!

A águia olhou ao redor. Tremia como se experimentasse nova vida. Mas não voou. Então o naturalista segurou-a firmemente, bem na direção do sol, para que seus olhos pudessem encher-se da claridade solar e da vastidão do horizonte.

Nesse momento, ela abriu suas potentes asas, grasnou com o típico kau-kau das águias e ergueu-se soberana, sobre si mesma. E começou a voar, a voar para o alto, a voar cada vez para mais alto. Voou… voou… até confundir-se com o azul do firmamento…”

Fonte: http://alfabetizacaosolidaria.wordpress.com/a-aguia-e-galinha/

Você é músico? Gostaria de compartilhar suas músicas com o mundo?

(18 Nov 2006 - 13:53)

Para quem é músico - tanto amador como também profissional - e gostaria de compartilhar suas músicas com mundo, existe agora uma excelente oportunidade: a comunidade virtual Jamendo!!

Jamendo.png

Como no próprio site da comunidade informa, o Jamendo é um novo modelo para os artistas promoverem, publicarem, e serem pagos por suas músicas. No plataforma (software) livre do jamendo, os artistas distribuem as músicas sob licenças da Creative Commons. Em resumo, eles permitem fazer download, remix e compartilhar a música livremente. É como um acordo de "Alguns direitos reservados", perfeitamente adequados para o novo século.

Assim, os usuários do Jamendo podem descobrir e compartilhar álbuns, além de comentá-los ou iniciar uma discussão nos fóruns. Os álbuns são democrativamente avaliados com base na opinião dos ouvintes. E se eles gostarem de um artista podem ajudá-lo fazendo doações.

Por ser um projeto inicialmente elaborado por um jovem francês, o site em Português conta com a tradução voluntária de alguns brasileiros - dentre eles os baianos André Lage e Alexandre Amorim - e ainda necessita de colaboração! wink

Hoje a comunidade do Jamendo conta com mais de 3500 artistas de todo tipo de música do mundo!!

Seja um(a) deles(as), colabore e compartilhe esta idéia!! smile

Fonte: http://www.jamendo.com/pt/community/

Por que o prêmio Nobel da Paz de 2006 foi dado para um economista?

(15 Oct 2006 - 22:20)

Parece até loucura, mas não é: um economista bengalês Mohamed Yunus e o Banco Grameen, fundado por ele, ganharam o Prêmio Nobel da Paz 2006. smile [1]

Yunus.jpg

Na verdade, Mohamed Yunus , além de "banqueiro" e economista, é um humanista defensor da liberdade e emancipação humana por meio das Finanças Solidária. Sua batalha começou em 1974, quando ele voltou dos Estados Unidos, onde estudou. Chocado com o quadro de miséria de Bangladesh, ele passou a visitar vilarejos pobres e constatou que muitas mulheres ficavam presas a dívidas e ao dinheiro de agiotas.

Com a recusa dos bancos em emprestar dinheiro para essas pessoas, sob o argumento de que faltavam garantias de pagamento, Yunus fundou um banco em 1976, primeiramente na aldeia de Jobra, tendo como base um sistema de crédito popular libertador que viria a ser, mais tarde, o Grameen Bank - que se pode traduzir aproximadamente por "Banco da Aldeia". [2] Este sistema fundamenta-se em dois princípios: em primeiro lugar, substitui-se a desconfiança bancária típica (avalistas, contratos com letras pequenas, fiadores, garantias...) por confiança pura e simples. Em segundo lugar, ao fato de que a pressão social de um grupo de co-avalistas é mais eficaz que qualquer formalidade jurídica.

A reação das autoridades bengalesas ao sistema de Yunus (quando ele tornou‑se visível) foi radical: “ Não se pode emprestar dinheiro para pobres”, disseram os burocratas. Vencendo toda pressão do sistema de crédito proprietário, Yunus insistiu apresentando os fatos: a taxa de inadimplência do sistema (2%) do Banco da Aldeia era mais baixa do que a de qualquer outro banco em Bangladesh. Desta forma, O Banco passou a ter em dezembro de 2001 cerca de 13 mil funcionários em 1.175 agências e atuava em 40 mil aldeias. Até o final de 2001, concedeu mais de U$ 3,5 bilhões de empréstimos, financiou a aquisição de 546 mil casas próprias e naquele ano contava 2,4 milhões de clientes (94,8% mulheres).

Recentemente, o Banco lançou o plano Grameen Phone (que é uma joint venture de várias empresas), que permite às mutuárias comprarem telefones celulares em condições muito favoráveis (U$ 5,00 por mês) e constituírem, por assim dizer, uma pequena companhia telefônica local, aproveitando o fato de que há bengalenses espalhados em todo o mundo, sobretudo na Inglaterra. Cobrando um sobrepreço sobre as tarifas, estas mulheres pagam as prestações e auferem renda. A adesão cultural ao programa foi surpreendente. Mulheres analfabetas, que até então não haviam visto um telefone na vida, em poucos meses passaram a se comportar como se suas famílias estivessem no negócio há dezenas de anos. Uma boa referência para se fazer também com computadores!! wink

E o que isto tem haver com software livre??

Mahatma Gandhi dá uma "dica"...

"Se quisermos dar ao povo o sentido de liberdade, teremos que proporcionar às pessoas um trabalho que possam fazer facilmente em suas pobres casas e que lhes dê o mínimo de sustento. E, quando o povo se tornar autoconfiante e capaz desobreviver por si próprio, poderemos conversar com eles sobre liberdade." wink

[1] Por que será que ele não ganhou o Nobel de Economia????

[2] Para saber mais informações sobre por esta linda experiência criada pelo Yunus leiam o livro O Banqueiro do pobres .